sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O som das incertezas envolve os ouvidos,
com sua firmeza irreal, calmamente sôa.
E é levemente calado, por qualquer sopro desafinado,
vindo dos teus lábios, beijados por qualquer pessoa.
Exceto os meus, que ficam solitáriamente calados,
esperando o momento certo, de afina-los!

Pierre Tenório

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Os ventos do sertão
refrescam os segredos
queimados pelo sol
do verão.

A seca que abrigamos
floresce inesperada
com a chuva do amor
que guardamos.

A vida severina
revela a doce face,
olhar gigante,
do menino-menina.

Pierre

sábado, 1 de dezembro de 2012

Entre linhas livres
Entre mundos tênues
Entre as nossas sinas
Abismos existem
De expessuras finas

Desconjuntando os sentidos
Omitindo as ideias
Censurando a Partilha
Evitando Plateia

Externidades Implícitas
Sujeira cabulosa
Calamidades Mortíferas
Entre as nebulosas

Desníveis sociais
Transfiguração
Entre seco e molhado
Nos perdemos então

Pedaços de universo
Quebrados pela razão
Sentindo-se submerso
No mar da desilusão

Harmonias Complacentes
Tecnologias Favoráveis
Ao nosso amor crescente
Sentimentos miseráveis

Pierre Tenório

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Incisivamente,amor invisívelmente
chega silenciosamente,
continuamente,
vagarosamente,
decididamente
ser realmente paciente.
O amor é paciente,
é o conformismo inconformado.
O amor é o conformismo inconformado.
A paciencia impaciente
A esperança renascente
O amor é a minha lombra predileta.
O mistério mais claro
que olhos nos olhos desperta.

Pierre Tenório

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Meu eu descompleta minha alma incompleta!

Pierre Tenório

sábado, 24 de novembro de 2012

Uma hora ele cansou de viver acordado, e resolveu dormir pra sempre.

-Ele vive dormindo agora?
-Sim.
-Por isso ele é desse jeito?
-Desse jeito como?
-Estranho.

-Ele só pode amar, nunca ser amado, entendeu?
-Que triste.
-Mas ele está dormindo, não sente.

-Que estranho, dormir acordado.
-A única forma dele ser amado, é sonhando acordado.

-E como ele morre?
-Só quando acordar.

Pierre
Princípios rompidos num desejo
Escondidos nos portões da alma
Vontade crescida num lampejo
Vagando nos corações sem calma

Obscuridade alucinada
Cega caminha atravessando
A ponte dos mártires sem nada
Sentimentos a pó se desmanchando

Nervos de tecido em fitas coloridas
Envolvem por completo tuas cristalinas
Num universo de encontros e despedidas

Uma nascente de larvas amorosas
Escorre vagarosamente silenciosa
Mirando o meu peito, virtuosa


Pierre

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

TEU ATLAS MEU

fotografias são radiografias
d'um sorriso sem nenhuma etapa
contido no silencioso mapa
das estátuas frias.

a cor dos olhos em pause
por mil sensações que causem
não piscam, brilham intocáveis
lembranças inefáveis.

tua pele sempre conservada
livre da velhice inesperada
de uma vida omitida;

não me canso de te namorar
retratos vivem ao meu contemplar
minha vida tua despedida.

Pierre Tenório

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A música tocou,
tocou o âmago do meu ser,
ser teu era o prazer,
amigo do teu eu, escondido nas estrelas.
Não acabou.
A música tocou,
selou o momento,
que a lembrança, não alcança,
o sentimento, que ser humano
algum, sentiu, nem mesmo
quando sonhou!

t,P

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A insônia finda,tão feia,
que só com o fim,se torna linda!
Nossa beleza acaba

o que ficam,são os cuidados de dois velhos,

que se amam como ovelhas desgarradas

do rebanho corrompido.


São lembranças dos tempos de orgasmos animais,

onde as cenas,eram basicamente teatrais

e o amor,se deu por fim vencido.

Pierre Tenório

sábado, 13 de outubro de 2012

Pintarei meu coração em tons de cinza,
deixarei lá,petrificado.
Mais uma vez,como quem dorme
novamente,no sono da bela adormecida.
Não existe príncipe encantado!

Pierre Tenório

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Um espírito invade o espaço,
e domina o ambiente,
com seus nervos invisíveis de aço,
ligando-me a ti,inerente.

Os olhos do garoto vidrados
na fumaça que permea invisível,
como um orgasmo inevitável,
de bombas positivas na mente,
em alto nível~

Pierre Tenório
As vezes eu queria ser um carro,
o qual com a chave,a ignição desligasse,
dormindo e sonhando,
com um mal que acabasse.
As vezes eu queria ser um pensamento,
um trecho citado apenas em algum momento.
As vezes eu queria ser a realidade,
do meu sonho,sem vaidade.
As vezes eu queria ser a vaidade
da minha realidade,sem sonho.
As vezes eu queria ser concreto,
sem precisar ser indireto.
As vezes eu queria ser invisível,
alcançando tua alma sensível.
As vezes eu queria ser maconha,
pra me perder em tua memória,
e como fumaça,subir à glória.
As vezes eu queria ser herói,
pro amor que sinto,
não doer,como dói.
As vezes eu queria ser uma ísca,
e em tua pesca,
sumir,como faísca.
As vezes eu queria ser mulher,
pra te possuir,
por uma noite,como quem não quer.
As vezes eu queria ser uma música,
ah,eu já sou...

Pierre Tenório

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Se foram palavras,
em meio as nebulosas.
Se foram presentes,
em meio ao meu desejo.
Se rasgam as linhas,
que moram no anseio,
de você.
Se foi o meu medo.
que a janela secreta
me leve a lua
contigo sonhando
minha'lma e a tua
se unem no brilho
do amor que atua
em nossos juízos
o meu coração
a ti compactua.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

dias,tardes
tardes noites
tardes anoitecendo
manhãs,maçãs,
noites tardes
dias tardes
manhãs tardes,
tardes tardes demais,
nunca serão tardes demais.


Pierre
O risco no papel,
o rabisco traçado no instante que passa,
na linha da rima,
no peso da estrofe.

A música que vai,
no rumo do risco,
na rima perdida,
na vida contigo.

Se o canto atinjir
os ouvidos astutos,
entronda alegria,
no risco sozinho.

Pierre
Será que é idéia,
minha idéia?
Ou é idéia,a idéia dele?
Dele ou minha,
idéia,é idéia!

Pierre

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Se o poder de apagar lembranças,
me fosse alcançável,
apagaria tuas mãos,
que enquanto sentado,
ficavam a altura dos meus olhos.
Amo tuas mãos,
tocando algo a altura delas,
flores ou pétalas,
me despetalaste inteiro.

Pierre Tenório

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Infinitas cores radiantes,
percorrem a vida em 3D,
De humor,
De amor,
De saudade,que deriva a dor.

De cura,que corre as veias,
e dura,infinitamente,
mesmo quando as cores,são sem cores.
Senhores,acordem.

Acordes,personagens musicais,
de notas graves e suaves.
De tempo desbravador.
Sem dor.

Pierre Tenório
Que os sonhos me levem
ao universo semibreve,
no minimo,sem minina lógica.
Ao tom da melodia confusa,semi confusa.
Ao renascer do sol,
fazendo-me renascer entre colchetes,
semi colcheando,
numa escala infinita.
Num compasso quaternário,
meu sol se re faz,nas linhas curvas
da tua capacidade.
fa la de mim,no espaços em branco,
nos momentos sozinho.

Pierre Tenório
O que seria do sofrimento,
se não existissem ladrões,
que por tão pouco tempo,
nos rouba o ar,
sem percebermos?
O que seria da inspiração,
sem o sofrimento necessário,
pra nos afogar,no mar da delisusão?
O que seria da esperança,
se não fosse a falta dela?
O que seria do bem,sem o mal?
E o que seria do mal,se não existisse escapatória?
O que seria das integorração,sem exclamações?
O que seria dos meus ouvidos,sem música?
O que seria da tua paixão,sem minhas poesias?
O que seria de mim,sem você?
Que me faz escrever,
sem perceber!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Se eu me lembro que te esqueço,
esqueço que não te esqueço.
Se eu me esqueço de você e esqueço
de saber,que eu me lembro toda hora de você.
Se eu me lembro de esqueçer você,
é por que esqueci de lembrar,
que esquecer,não faz parte do meu escrever.
E se eu lembro e escrevo de você,
esqueço tudo,menos te esqueçer.

domingo, 19 de agosto de 2012

Choques elétricos,por todos os lados,
chaves de fenda,marretas,pistolas,caretas,
choques elétricos.
Facas,machados,lâminas rasuradas,
de pingos de manchas vermelhas,de cortes,
fricotes,filhotes,
espermatozóides.
Loucos,insanos,profanos,
atores,temores,horrores,
discos voadores,
falantes,amantes,ficantes,
picantes.
Fodas anonimas,roubo de carro,
assassinatos forçados,
batalhas,girandulas de espinhos,
negros,falantes,bocejos,
choques elétricos.
Raios de paixão,
fogo apagado no encanto da jóia rara,
no silêncio do grito forçado.

Pierre t
sonhando acordando,
acordado sonhando,
sonhando acordado,
com você do meu lado.
domingo dormindo,
acordando domingo,
domingo sonhando,
com você comigo.
pensando esquecendo,
sonhando lembrando,
tentando tirar
você do meu canto.
caminho cantando,
cantando eu ando,
andando caminho,
no amor sozinho.

Pierre Tenório

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Fiz uma canção
pra camuflar
essa tua paixão

Por que eu já sei
o que posso ter
e também o que não

Vais me ajudar
a te esquecer?
Sem eu perceber.

Que o teu amor
vai perecer
sem nenhuma dor

Não

Você vai sofrer
você vai tremer
quando perceber

Que o meu amor
era tudo que
você mais sonhou

Você vai gemer
você vai morrer
quando acordar

E ao teu lado
eu não mais estar

Uma flor,hei de lançar
no teu descançar!

♥pierre

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

As penas voam,
não existe mais travesseiro,
só pena.
Dó,uma nota musical,solitária,
e com varias direções.
Não tenhas dó de mim,
se nosso amor,vale a pena,
que paira no ar.
Ar,que por si só,
em sílaba,nos é a vida.
Sol.

t,P;

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Os dias nos devoram,demoram as vezes.
Os dias passam soberbos,sem percebermos,
se mostram.
Eu,tú,eles...
Eles se esvaem pelas margens da nossa importancia.
O que resta é um rabisco do mim,disfarçado de eu,
traçado sobre o tú (meu amor), que reconvexo habitas em minha mente,
que não exita prestar-te o socorro que amas.
Penetra tua alma,pela seringa,
aplicada em minha veia esterelizada.
Mata-me,na tua vontade imperfeita,
acolhe o bem estar das circunstancias que nos aproxima.
Usa as palavras mais míseras,
causa as impressões mais sublimes,à mim.
Por que aos meus olhos cegos,
tú és o que ostento,parceiro do tempo.
Como um brasileiro,eu tento,
quantas vezes me forem convictas,
como um pistoleiro,acerto,porém,
te mato em beijos por inteiro.
Os dias me devoram,sublimes,
porque tú existes,emites.

Pierre Tenório

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Divagaria noites em claro,
fumaria 300 baseados,
largaria os cigarros,
entregaria minha alma num abraço.

Beberia uma adega inteira,
em plena segunda-feira,
gastaria todas as minhas moedas,
quebraria meu porquinho.

Aprenderia a falar outro idioma,
que você entendesse,
e sem ignorancia,percebesse,
que é tudo que me importa.

Não vou mudar,
nem vou tentar parecer com você,
por que você é diferente,
de todos os homens que conheci,
e eu não conseguiria me igualar a você,
por que eu sou o doce que vai tirar o amargo do teu peito.

Choraria rios inteiros,
para mergulhar e nadar até você,
atravessaria o espaço,num sonho.
Esperaria,até outra vida,
se nesta não possível for.

Mudaria de país.
Sacrificaria meu amor,
se preciso,
pra poupar-te,
da realidade em que vivo.

Criaria um universo paralelo,
onde não caberia mais ninguém,
só você.
Pobres coitados,
dos que se atrevessem tentar entrar nele.
Pois se perderiam,embreagados na fumaça eterna
dos deuses imaginários,e dormiriam para sempre.

Soprarei bolinhas de sabão,
acenarei com fogo,
invadirei teus sonhos,
afogarei teu pranto,
mudarei teus planos,
inventarei palavras,
reiventarei.
amando...
Em silêncio!
Não enchergo o abismo que me aguarda,
nas sublimes palavras de um homem.
Só consigo ver as futuras mãos,
que em sonhos me afagam.
Eu detesto minha dúvida,
utópica,confiando nesse faro raro.
Se o tempo fechar de repente,
eu me molho,e congelo,apenas.
Voltando a origem destinada,
como uma obra prima inacabada.

em dois palitos,
a vida passa.
em dois palitos,
o pega vareta acaba.
em dois palitos,
o amor brota.
em dois palitos,
a cara é salva!

terça-feira, 31 de julho de 2012

as primeiras impressões são as que ficam?
se forem estas,me são...
Nada pesa sobre o meu amor,
e o amor que me vem, pesa sobre as minhas lágrimas inúteis de saudade
sóbria,na tentativa imune de me embreagar,em qualquer lugar,
que seja possível perceber a percepção de encontrar,
um rastro de nota de piano,que ao meu ouvido permeia,agora.
ao chegar em casa.
De que adianta?
Um sanduíche regado,as sobras de lembranças e desejos teus.
Obrigado Deus,não nego.
Espero,
que a insistencia,dure,
até que minhas impressões digitais toquem,
o que almejo,mais que quase tudo em minha vida.
Eternamente hão de ser.
Porque já és tudo,e minha música,vem contigo
em alma e corpo,em soprofanamente,
minta e sinta,
o clima.
Com duas sílabas,
ama.
me!
Mi-nha,Vi-da.

Bo-a Noi-te,di-a ,noi-te.
O segredo do amor secreto,
é o silêncio que o trás aos poucos.
A percepção do coração amante,
é aguçada milhões de partículas microscópicas.
O silenco do sentimento bandido,
é o desejo transfigurado,
na figura perfeita da imagem tua.
A felicidade não consumada,
é a espera guardada,ansiosa.
A perfeição dos detalhes mínimos,
é a experiencia mais genial existida,
resumida em exercer o papel,
de pensar em baixo da coberta quente,
materializar você,
é a obra prima perfeita.
imagina possui-lo?
Deve ser o céu.
Insano insone,
insone incomodo,
incomodo com modos,
com modos apaixono.

Incomodo com medo,
com medo me calo,
imploro pro sono,
me levar pro sonho.

No sonho amo,
no amor moro,
insone novamente,
fico quando acordo.

No sonho espero,
te ver me amando,
porque acordado,
na noite insone,
só te vejo,
me abandonando.

Dormindo ou acordado,
insone ou sonhando
falando ou calado,
só quero você do meu lado.

Descobri uma forma,
da insonia ir embora,
o sono chega,
quando escrevo,
depois de um fora. (risos)

No ultimo verso,
já bocejando,
fecho os olhos,
e te amo!

Boa Noite...

segunda-feira, 23 de julho de 2012

a bomba de espinhos,chegou em moinhos,
sem justificativas,chegou em medidas,
certas,corretas,extremas,cadeias...
bebados,em devaneios,
aviso!!!
em guerra,cheguei,e não minto.
tudo o que há em ti,eu não digo,mas o que há aqui eu reflito!
te amo,chamo,clamo,choro,imploro,olhares,pesares,milhares,
de hipocritas,olhando pra mim sem medidas cuidadas,
só restam palavras pensadas,educadas,adas,adas,
e quantas adas,e abas de ecostas barreiras,barreiras,impensadas.
amor sem palavras,sem entradas,sem encruzinhadas,eu amo.
sem pensar em nada!

Pierre

quarta-feira, 18 de julho de 2012

´Queria ter o poder de estar todas as horas inspirado,
de poetizar sobre tudo,sem divagar,
de estar ao teu lado,sem descansar,
de não precisar rimar,
de sair na porta e ver o mar,
de te tocar todos os dias, até ficar sem ar,
de amar sem preocupação,
de entregar sem dó,o meu coração.
Queria ser um ativista do amor,
podendo assim amar sem dor,
queria viver tudo que existe nos teus olhos,
queria que essa bomba dentro de mim,
explodisse e matasse apenas a escuridão
do impossível.
Se eu pudesse te salvar,
e encontrar um amor,que te fizesse bem,
me tornaria um suicida,e explodiria junto,
saindo dessa tortura,
que me escraviza ao teu desejo.
Queria conseguir escrever algo,
que não envolvesse você,
queria me livrar de você,
mas isso só seria possível,
se eu abrigasse minha solidão em teu coração
tímido,aquecendo-me.
Pode até ser exagero,coisa de poeta,
mas ao dormir e acordar,
tenhas certeza,que em meu coração,sonhos
e pensamentos,cada minuto você está.
Sou um pobre ser humano,
em busca de humanidade.
Sou um corpo pensante,
que só sabe cantar a cada instante,
a melodia dos astros e do alcool.
Sou a contrafação da aurora que te guia,
sou o que você já tem,
sou um coração,a ponto de explodir,
como uma bomba relógio,
sou o tempo que não passa,
sou você me querendo,
e ao mesmo tempo,sou eu mesmo morrendo
a cada minuto,da bomba relógio,que está na cozinha.
De uma hora pra outra,
de uma noite pro dia,
o Se,pode ser.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

A lua,e sua beleza infinita,
a lua e o seu poder de unir nossas vidas,
como um raio de energia,
que sai do meu olhar,passa por ela,
e me leva até você.
A lua que brilha tão linda,
nessa noite fria,
é o elo que te trás até mim,
é o que aquece meu coração.
A lua,me faz perceber teus pensamentos
de longe,através da dela,
me sinto perto de você,
tão perto que me sinto aquecido.
A lua me ajuda a decifrar tuas mensagens,
e me sentir parte de você,
como nunca antes.
A lua,me faz apaixonar-se por ti,
a cada anoitecer,
me faz esperar por você,
o tempo que for preciso.

Pierre
queria ser um pássaro livre,pra pousar na tua janela,e te observar sem veres,
queria ser um pássaro, aprisionado em tua gaiola,para que pudesses me ver,todos os dias,
queria ser um pássaro livre,para cantar a ti,todas as manhas,
queria ser um pássaro apenas,no teu amor preso~

quinta-feira, 28 de junho de 2012


Aponta teu lápis
e atira em mim,
escreve tuas palavras
sobre mim,
diverte-se difamando-me,
e ama-me declarando teu anonimato,
que é onde eu abrigo meu amor,
e mato tua dor.
Destrói o meu juízo
com tua ausência perpétua.
Tatua em minha pele
tuas lágrimas invisíveis.
Segura o meu coração em tuas mãos,
aperta,e o faz explodir,
em dorzinhas minúsculas
que se esvaem em partículas hébrias.
Mastiga.
Tira onda com a minha cara.
Me esnoba
Me descobre
Me convém
Me.

Pierre

terça-feira, 26 de junho de 2012

Se o caneco vazio e sujo,
lamenta a ausência pertinente,
assim presente,tão só,mente.
A verdade que o limpa,é você mesmo,
que fumina-me somente.

A larva vulcânica,quente,
que me derrete e inverte
o sentimento abusivo que me preenche.
Ao invés de limpar,queima e me mata
no ódio do desejo,
do sofejo da música morta,
que renasce do surgimento
de qualquer válida nota.

Pierre
Transforma a magia sub interna,
submersa na bosta da tua razura humana,em amor,
e me ama,idiota.

Risca o alfarrabio já rabiscado
pelo gosto amargo,
fissurado na tua angustia.
Desgraçado,me ama.

Sou apaixonado,
pelo podre,belo,insólito,insano,
que existe em teu canto,
em teu sopro leve,
que sozinho me leva,
a transceder nessa merda. Me Ama!

Estou te amando,
e permeando entre o sim e o não,
o lembrar e o esquecer,
a alegria e paixão.

Perdoa-me.
Por não esquecer de te gostar tanto,
e transformar meu pranto,
em bobas palavras.

Te ama,depois me ama,
nos ama!
Só um pouco.
Grosso.

Pierre
Abre essa janela, afasta essa cortina,
olha essa paisagem,pega essa passagem,
e passa.

Pra bem longe da desgraça.
Gracias.

Desce no teu inferno,
e trás o pecado doce,
do escuro que ilumina esse inverno.

Tira essa roupa,olha pra mim
e enoja.
Eu sei que tu sabes,
o que em ti cabe,
o que em mim cabe,
o que em mim cala,
é o que te cala.

Gala,veste o teu traje,
e se disfarça de mim,
em ti.

Diz que eu sou tua puta,
e ao mesmo tempo observa,
o que és.
Sou tua culta e o teu prazer.
Se esconde em mim,se escuta,
e vem...

Pierre

segunda-feira, 25 de junho de 2012

o ciclo,a ciclovia,a bicicleta. o riso,o choro,a indireta. o concreto,o abstrato,o discreto. a pergunta,a resposta,a proposta. o teu,o meu,o dela, o meu não é teu, o teu é dela, e o dela não é teu. 3-2=1 1+1=me and you. igual a um sopro solto no universo! vai,e não me falhes... Pierre

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Dentro de sonhos insanos, perdidos em mundos vazios, preencho a força secreta, da estrada concreta. Permeio entre duendes e fadas, demonios e faunos, gigantes e anões deixando na pele todas as visões. Visões tinjidas,bordadas,finjidas. Fantásticas,fodasticas,futilíssimas. Energias positivas se tatuam, negativas flutuam. Que a bomba de estrelas Mautniana,exploda, e o muro que divide tudo,kaya, na fumaça das cores perdidas, no universo paralelamente um só. Pierre
São João do interior no interior do são joão, curtindo meu interior, no interior que não é em vão.
Não faz por onde ter saudade de viver, só porque não vive, por que vive só. Desespero toma conta da tua cabeça, senta nessa mesa e deixa levar. Escova teu cabelo, pinta o olho, olha no espelho do banheiro e sai. Sai debaixo desse edredon, vai viver teu dom, Odiar e Amar Entra nessa guerra,pisa nessa terra, finge que ela é santa, do pau oco. Esconde teus segredos lá, sem se preocupar. Sente tudo que Deus te dá, faz essa miragem se concretizar, aproveita o que é teu, não rejeita. Basta se doar, respira a dor que tem no ar, agora expira. Expiral! Pierre

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Que as flores do olhar subterraneo,atinjam tua alma sem conforto, que o espelho da lágrima sublime que te reflete,mostre toda alegria que o meu pensamento remete,só a ti. Passarinho.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Sentindo as lágrimas de Deus cair nas telhas, lavando as pontas de cigarros as quais eu jogo nos dias de sol quente de repente,quando acabo de fumar, ali as lanço. Se ninguém ouvisse essa musica, das gotículas de chuvas,que fazem diferença, na minha madrugada viva. Elas (as gotículas) chorariam dentro do choro que já choram, se mutiplicando em muitas,mas tantas gotículas,que acabariam me afogando, aqui no quintal. E esse cheiro de vento molhado,com águas mágicas das nuvens,que quando contrasta com a luz,estoura uma bomba de cores quentes,que causam frio. Aumentam minha tosse e saudade. Mas estou torcendo,para que chova mais,e tudo fique um pouco mais verde aqui no sertão,aqui é sertão ou agreste? Sertão só,não é sertão ruim. Tudo bem,eu fico no Ser tão belo,que és. E me perco nele,nas juremas que furam meu coração, e deixam-se misturar as gotículas de lágrimas benditas. Será que são milagrosas? Gotículas divinas,traz o sertão sozinho, pra perto do mar de gotas,que existe aqui,no meu quintal! Como um vulcão. ;) Pierre

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Não fume na cama querido, ao menos que seja pela necessidade de queimar as energias negativas do ambiente pesado em que nos propomos viver. Não observes o céu dessas bandas só pra ver se vai chover, se chover se molha e sente a beleza dos pingos de seca, sente as lágrimas frias do chão em que pisas. Transforma, apesar de pesado. Só pesa. E sente a leveza que te preza. Sente-se próximo as princesas vadias que existem hoje em dia, elas vão tirar tua vida do controle, sugarão tua energia, e não conseguirão chegar lá, onde eu sei o caminho de cor, pelo arco íris onde consigo ver além. Elas te matarão, sem você perceber. Ouça a música da alma, do barulho do vento, da água. Na cama vadia de amor, gasto pelo tempo perdido de tua vida teórica. Metafórica. Desce no teu inferno, e degusta as impurezas dele, transpira o que não te serve, transforma o que não é de ti, em ti. E volta. Pierre 18/06/12

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Invisívelmente inventado, é a minha insistencia perdida no universo, na noite habitada por flores carnívoras, entregues as namoradas traídas, pelo pensamento promíscuo, tesouro da minha vida. Amor fomentado pela seiva da pele invertida, sonho inútil que me acorda melado, num acorde mal interpretado. Enquanto um chega,outro sai, enquanto um gira,outro trai, enquanto um fica,outro vai. E você não chega na mesa, cadê tua beleza? Tua ausencia é tristeza, nem consigo mais rezar. Minha esperança desfaz,me falta o ar, me deixar... te deixar... me levar...Pra casa. Estou a desabrochar, não impeça minha grandeza, não deixa de me olhar ficar, atrás da tua noite,sozinho, volto bem devagarinho, em pensamentos a ressaltar. Fico sim,na minha. Minha beleza não basta, minha firmeza não fala, preciso de um psicopata, que venha sem medo,e com bala, me mate. Com um chá. Me mate de amor nordestino, sem medo,nem dor,ou destino, sem ninho ou belas palavras. Pede uma cerveja,amor, me lava! Pierre Tenório

quinta-feira, 7 de junho de 2012

"Se não tiveres um monumento,dá me um momento. Se não tiveres dinheiro,dá me sossego. Se não tiveres verdade,dá me um sonho. Se não tiveres vontade,dá me desgosto. Se não tiveres cigarro,dá me fumaça. Se não tiveres emoção,dá me razão. Se não tiveres silêncio,dá me uma musica. Se não quiseres amor,dá o fora!" Pierre Tenório

terça-feira, 5 de junho de 2012

Boas línguas me chamam de ingrato, outras de ambicioso, egoísta,nem se fala. Se lambe. Me beijam nas madrugadas imperfeitas, as quais eu nem lembro a cor da camisa despida no meio da rua. Compartilham o alcool venenoso,que contamina meu sangue, me enchendo de ódio,ódio que se transforma em lágrimas de veneno, que eu deixo cair no meio das praças desertas,na cidade vazia. Falam até dos meus bolsos ocos, da tortura imaterial que consome meus vinte e poucos anos. Enquanto isso,as más línguas,coitada delas, me amam por aí,sozinhas! Pierre Tenório

domingo, 3 de junho de 2012

"quem bateu na porta do meu coração, se perdeu. não viu o aviso de solidão, nem o perigo de ser em vão." Guilherme Marchetti

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Tenha dó,da minha gargalhada forçada. Da ironia minúscula,que por minha face transpassa. Da cara de pau que expõe, em segredo os confins do mundo sem nexo. Do revolver que atira na alma, e faz explodir e sumir, como o ar de um balão inflável. Não tenhas dó, da criança mal criada, que deseja o prato na mesa, acompanhado de uma cerveja, e cariños multiplos ao pé,da mesma mesa. Faz morrer novamente, a mesma vida que mente por aí, viver o que não sente sentir, só pra se ver sorrir, ao lado de uma esperança,que nunca vai te persuadir! Idiota$! Tenório,pierre
"E volta o cão arrependido, o lobo apaixonado, o coração partido, o mendigo escurraçado. E volta a casa abandonada, a comida vencida, a garrafa vazia, a cabeça rachada. Podre de ti,que não vencestes a mim, podre de mim,que não consegui, alcançar a ti. Trem das 11!" Pierre :~
Eu sou cheio de vazio,eu acho! É interessante,como as pessoas se fecham pro que não querem. As vezes, as coisas vem no tempo certo, e elas enchergam. As vezes,elas são Tomé! Tenório,pierre

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Rejeita-se,toma jeito de massa de pastel. A semente apodrece em solo infértil. Anula os motivos criativos da tua existência. Desgraça-te,degrada-te, mendiga. Humilha-te,castiga-te, deseja. Espera,faz tudo,faz nada. Faz o possível do impossível, já que o impossível é o que se tem. Despe o corpo,veste o podre novo. Sai daí,sai daqui. Vá pra dentro do que há fora. Sai de baixo,come tudo. Agoniza,aterriza. Apedreja a peleja do si. Enforca-te,mutila. Engole a saliva da vontade submersa na lama do caos de Science. Sofre tudo,ouve tudo,sente nojo. Bebe a água do teu esgoto. Come a merda da tua fossa. Degusta... Calado! Pierre Tenório

domingo, 6 de maio de 2012

O corpo do corpo anseia um corpo, que fure dolorosamente e friamente um corpo que ama o vazio do vazio, que preenche sem tristeza,o momento duramente. Deslize suas mãos quentes no meu corpo frio, quase morto pela ausência erógena da presença tua. Deixa levar como o vento vadio, que pelas ruas vagando corpos alheios, leva a leveza da brisa ao orgasmo interno. cale-se! T,p
"As histórias escorrem por nossos dedos, se encontram e se perdem. Quando não acontecem,acontecem simplesmente por não acontecerem,unem-se ao mar da expressão mais falha, ou contra gotas apenas molham o papel escrito. As histórias se diluem ao mesmo tempo que são concretizadas,as reais se tornam fabulas,e as fabulas,fabulosas tentativas de historias reais. Histórias coletivamente individuais,se completam e separam juntas. Na dor,no amor gasto,lutam. O fim da minha,é a continuidade da sua. Tristes ou felizes,reais ou fabulosas,são histórias... Que se contam em cada mente,que mente ao crer,e crendo sente. A história da árvore,está na terra. E a terra,é a nossa "estória". Salve!" Tenório,P.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Ando,Ando,Ando... Penso no que vou fazer sem dizer, o que espero de ti,vou partir. Eu vou caminhando por aí, sem saber de ti. Quero que você me diga que eu, sou bem mais pra você do que penso, penso que posso fazer de você, parte do meu elenco,eu ando. Eu não vou Admitir Que você me persiga Sou feito do vinho Sou feito de cor Quando você me preenche eu sinto no ninho o que minto pra satisfazer Peço a benção de Deus por aí Venha pro meu corpo nú E agradeço o pouco que tenho Venha me beijar,Amém Eu não vou mais esquecer de você O que me toma não é teu amor Amo,Amo,Amo... Pierre Tenório

sábado, 21 de abril de 2012

O que me leva a impaciência nessa história toda, é ter que satisfazer as pessoas que se contentam com a repetição. Será amor as lembranças? Tudo bem,enquanto as lembranças,são só lembranças, quando passam a ser essenciais, deixam de ser lembranças. Nada disso me comove, nem me envolve, revolver. E as fases da lua? E a noite e o dia? A musica nova? E a nossa história? A escola? A inspiração? A paixão? Não se renda irmão, faz o que tú queres, (de novo) Pois o que é da lei,não se renova! É melhor escolher,o tempo só,não passa. Pierre tenório
A moda se repete,A musica se repete,O gosto se repete,Como o som do trompete. O amor se renova,A dor se inova,Meu ódio incomoda,É o que apavora. Não aguento essa prosa,repetição,sem perspectiva de mutação,É foda! Pierre
A espera te espera,por que quem te espera,um dia cansará! Pierre
Sozinho,aprendemos a correr e conviver, fingir não ver e vê,o que se pode crer. Falar somente Mentir,nem adianta, olhar pra frente,abtrair e extrair,a manhã. Cedo,sem medo,Vejo! Vejo as flores,cores,amores,vejo o coração sorrir e o amor expandir. Vou me divertir! Pierre Tenório

Chore um Pouco

Não.
Chores mais, mais um pouco.
Você só precisa entender
que o sol vai brilhar e sumir
em cada entardecer.

O que tiver que fazer que agora faça,
saiba que eu,não vou mais acreditar
que o que acontece aqui, não acontece
lá! lá lá lá...

Peço perdão por não ter
que esperar você aparecer
eu só quero um lugar
onde eu possa viajar...

Eu não vou mais, ficar aqui
aprendendo a aprender ficar longe do amor
que eu invetei por você
Será que um dia hei de te encontrar
como eu te procuro
nunca acharás ninguém.

Chore um pouco
chore um pouco
chore um pouco

Não se apresse
não pergunte
não afirme
nos ajude
faça tudo
mude o rumo
da história
num segundo
chore, mas
sorria
venha sente
no meu colo
derrame
toda tua lágrima
olhando-me
olho no olho
pode conversar comigo
abra tudo que puder
sou teu livro de segredos
leia, guarde, amasse, se quiser.
Ou rasgue, chore, chore.

Vou chorar contigo
uma nuvem negra
pra purificar o coitadinho
do fascínio
por favor, durma aqui.

Contarei teus sonhos
madrugada longa, acorda
levitando e vá embora
chore um pouco
até nunca mais.

Pierre Tenório
O que irrita,eu reflito; O que me olha,eu sonho; O que me alegra,eu sorrio; O que me enche,eu como. O que me ama,me engana? O que me apressa,me segue; O que me espera,me move; e o que me tomba,me ergue. O que me sonha,me acorda; Quem me critíca,concorda; Quem me odeia,me ama; Seja na guerra ou na cama. O que me leva ao pranto; é o que me tira o encanto; Quem me embrega,eu bebo; E o que me encanta,eu canto. Pierre Tenório

Poema de Repente

Ao te ver passar,tudo fica pause II Meus olhos mal criados te perseguem , engulo o que não há em minha boca, inspiro devagar, Só o mundo a girar. Os meus orgãos se contorcem, não consigo respirar, a impossibilidade, deixa tudo 'divagar'. O que há em meu peito, ao contrário, não está paralisado. E quando tudo volta ao normal; É por ti não mais aos meus olhos estar. As cores voltam a ser frias, o meu peito paralisa, Só me resta uma canção,pra tornar tua presença, eterna em meu coração... Mas como tal,não existe, e o meu coração persiste,em vagar na madrugada, procurando por seus olhos, eu só bebo feito um bobo, não conseguindo ver nada. No meio dessa tortura que está meu pensamento, Penso em esquecer de tudo,nem que seja um momento, mas meu coração não deixa, sem existar presta queixa. Ah,que medo da lemnbrança, cair no esquecimento. Deito leve e logo sonho, com meus olhos no seu mundo, nunca mais vou te perder... Já que o filme nessa hora, Graças a NSª Senhora, teve música de fundo! Pierre Tenório

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Menos do que mais seria pouco pro que eu tenho pra você. Mais seria menos se você só fala mais que menos quer me ver. Menos é o que eu queria ter, se mais fosse sinônimo de perder. Mais o que eu tenho pra dizer é que você vai ter que me perder. Mais ou menos menos do que mais, É o que eu mais queria ter. Encontrar você foi o que mais me fez pensar em escrever. Menos eu queria te perder, Mais não posso encontrar você. Mais não posso querer só pensar que o que me basta é te amar. Amar mais do que eu devo fazer, Fazer menos questão de ter você. Você está com medo de dizer, Que - eu É + para você! Pierre Tenório
ORDEM E PROGRESSO. Os primeiros habitantes da terra segundo a bíblia são? ADÃO E EVA!!!! E o cavalheirismo onde fica? EM PRIMEIRO LUGAR!!!!! Então... Os primeiros habitantes da terra segundo a bíblia são? Eva e Adão. Eva e Adão! Eva e Adão? Caetano Lessa
"a brisa pesa sobre os olhos os olhos pesam sobre os sono o sono pesa sobre os sonhos os sonhos pesam quando acordam'' boa noite,Pierre
Opinião,em construção ou não transmite;passa tem gente que tem de humor muda,varia tem gente que nunca cria tem a do amor e a da dor A de si próprio, e a do ópio Todo mundo varia,muda um vai cedendo ao outro e o outro o outro e o outro,pronto. Silêncio! Pierre

quinta-feira, 19 de abril de 2012

"Provas de amor na faculdade,
provas na faculdade de amor,
amor que vai além de idade
e nem precisa de faculdade.
Faculdade de amor sem provas
é a vida sem tempo nem hora,
minha prova de amor acaba,
no momento em que vais embora"

Pierre
"belo monte de sujeira,
sujeira do monte belo,
um monte de pobre belo
que tem que sair do monte"

Pierre Tenório

quarta-feira, 14 de março de 2012

Eu sou tão magro quanto a dorothy, ela dorme tranquilamente em sua pele de tigresa,
relaxa a musculatura da coluna, parece não pensar muito, está tranquila,
brinca, ainda não faz sexo, come e não engorda, ela sorri enquanto dorme.
Sonha com a rua da amargura e se debate um pouco, depois acorda e bebe leite com carne,ela não é vegetariana, tão carnivora quanto felina,ela sonha com alfaces.
Doce dorothy,o que será?
Uma maravilha de cores,percorrem os sonhos da dorothy,
as luzes que reluzem através dos cristais,causam uma sensação
de impaciência,imaginem só,olhar fixo naquela imagem que transmite um som.
Existe um suspiro,uma pausa...
Dorothy está perdida em meio as nuvens de fumaça,
ela está leve,e se deixa levar.
Camera lenta,
espreguiça...
Ela descobre que está com muita fome!!
A fome corrói os pensamentos de dorothy,enquanto sentada
em uma poltrona de almofadas de bolhas de sabão,ela fuma um cigarro mágico,
quando derrepente percebe a presença da ilustre "madame la pequeña Codorna del patagonia argentina" bem do seu lado,a qual não exita e começa logo falar:
"Minha boca logo sorri, *D os meus dentes vem a aparecer,quando uma rima surge aqui,e algum lugar no meu pensamento,é o momento.Deito,sento,viro...Fico em frente ao espelho do banheiro,se menosprezando por um segundo minimo,que logo acaba com um tapa na orelha.Quando viro,que me olho novamente,pisco tres vezes, ;) não compreendo o que está acontecendo.Então me lembro e me pego num sorriso,lagrimas correm em meu rostonum gesto ambiguo.Minha face é coberta por uma membrana de penas,que logo em seguida dá lugar a ummaravilhoso bico.É minha nova boca;Cuidado que eu belisco.Agora sou "una pequena cordorna",que vive na Patagonia,um universo pararelo,que não é o seu;um cenáriode invensão pessoal,com um clima de bacanal,onde tudo acontece de forma pornô e sinistra.Como quando saio do banheiro,e me pego com aquelas penas finas,aquelas penas, que agonia!Minha mãe é surpreendemente abordada por mim, =Oser saber que sou eu; "La pequena cordorna" na cozinha,pra lá e pra cá,pobre de mim,sem saber nem bicar,nem sorrir.Ela olha pra mim e pergunta;-O que fazes aqui travesti? :@Olho pra ela e olho pra mim,quando percebo o salto,e as plumas a me revestir.Lembro quando minha boca logo sorri,e meus dentes vem a aparecer,quem sou eu? Um garoto,uma cordorna ou travesti?Quando do nada,todo mundo some,~minha mãe,o espelho,o chão do banheiro.Caminho até a porta do meu quarto,abro e olho,tô deitado...Que chato!Em algum lugar do pensamento,é o momento.Dessa vez levanto tristonho.Acorda!Foi só um sonho."
Dorothy Acorda.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulher...
Eu não gosto,mas aposto
não beijo,"mas elejo"
não experimento,no momento...
Pra mim só sentimento!

feia ou bonita,
grande ou pequena,
santa ou puta.
Gosto de todas,só basta
ser culta!

Vaidosa ou machuda,
Com bunda ou "nem",
Peituda ou sem peito,
tem meu respeito!

Mulher...
Cabelo,espelho,pentelho.
Dinheiro ou Cartão,Sapatão?
Amor E Paixão!

Todas odeiam
Machismo,traição e violência;
mas no fim de tudo,
todas tem paciência.

Marca,perfume,maquiagem
não dispensam uma boa
Viadagem.

Mulher...
Forte ou fraca,
Gorda ou magra
Chata ou não,
Tem um cantinho aqui no meu coração! (rs,bobas)

Com amor, Pierre Tenório

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Eu não quero mais saber de ti

Eu não quero mais saber de ti
Eu não quero mais saber de ti

Você entrou na contramão
roubou meu coração
e só queria usar o meu cartão

E nessa onda você vai sofrer
na vida é tudo como tem que ser...

No dia em que você chegou minha paz acabou.

Eu não quero mais saber de ti
Eu não quero mais saber de ti

Liga toda hora
vem,me usa e vai embora
tá pensando que eu não vou te dar um fora?

Eu não quero mais sofrer por ti
o que eu faço pra você sumir?
Eu só quero é me divertir
algum lugar legal pra ir

E só de te ver perdido assim
igual a mim.

Eu não quero mais saber do teu amor
Eu não quero mais saber de ti

Jogastes fora o meu amor
fizestes um favor..
Na guerra o meu coração se adaptou.

No dia em que você chegou minha paz acabou...

(Pierre Tenório)

O meu coração está com medo de sofrer

O meu coração está com medo de sofrer
Ganhar todo esse amor
pra depois perder

O meu corpo treme só de pensar em te ver
como é difícil te esquecer

Lágrimas se perdem nessas chuvas de verão
que fará meu pobre coração?

Você roubou
o meu amor...
Aprisionou

As Lembranças pintam coisas lindas de você
Pra que? Pra que?

O medo;é pior
que o medo
de ter medo
de te perder

Mas como;desejo
sem medo
o segredo
de ter você

(chorus)

Ninguem pode saber o que acontece entre nós dois.
Porque? Porque?

O tempo te afastou de mim
sozinho agora eu ando
Sem meu coração no peito
eu te amo,te amo!

(Pierre Tenório)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

L.O.V.E

http://www.youtube.com/watch?v=7YNSXAdcGng&context=C3ca623dADOEgsToPDskJq69TefL5I4_UH9966a43u