quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

INQUIETUDE CÓSMICA

Entre os dedos
roça a caneta,
num vai e vem
de tantos cometas.

Linhas tortas
decifram estrelas,
acendem e apagam
inúmeras letras.

Nas explosões
de tal universo,
dissipo a paixão
em ácidos versos.

Porém enquanto
não houver razão,
nossa tinta acaba
sem declaração.

Vou à lua em
transição alheia,
somente para
que você me leia.

Pierre Tenório

Nenhum comentário: